"Eu respirava naquelas salas, como um incenso, esse cheiro de velha biblioteca que vale todos os perfumes do mundo." Antoine de Saint-Exupéry

sábado, 22 de novembro de 2008

SEM NOVIDADES NO FRONT

Sábado... E, à parte a certeza de que amanhã é domingo e que até o meio-dia seremos felizes, um dia como qualquer outro, cravado em nossos olhos como pregos numa parede...

Pintura: Marinha (1984), de Aldemir Martins.

5 comentários:

M. disse...

Gosto daqui. Destes textos que me encantam e me espicaçam. M.

katherine funke disse...

Para um sábado diferente, apareça lá no ICBA mais tarde.... Estaremos lá - http://simuladordevoo.blogspot.com/. Um abraço!

bípede falante disse...

Mayrante, obrigada pelo passeio em meu blog. Eu ainda não tive o tempo necessário para passear devidamente no seu. Terei em breve. Já ganhei o seu livro do meu marido. Está com os Karamazov à espera de meus olhos. Dei uma folheada, uma lida em alguns trechos - que ninguém é de ferro - e gostei muitíssimo :)

Anônimo disse...

Eis a promessa de transcendência. Pelo menos até domingo. Voltamos. Aquele abraço. T

cleilton silva disse...

os sábados são tristes até o meio-dia e obrigatoriamente alegres até o pôr-do-sol.

e os domingos cheiravam a sono. (oswaldo de andrade)