"Eu respirava naquelas salas, como um incenso, esse cheiro de velha biblioteca que vale todos os perfumes do mundo." Antoine de Saint-Exupéry

quarta-feira, 31 de dezembro de 2008

BISCOITOS DA SORTE

Passei boa parte do ano de 2008 fazendo refeições chinesas e, por conseguinte, arriscando nos biscoitos da sorte... Os papelotes estão aqui, na escrivaninha, um monte deles, como um desafio ao meu ceticismo. Em retrospectiva, percebo com certo assombro que alguns foram realmente proféticos: “Você será em breve honrado por alguém que você respeita”. Outros, porém, nem com o filtro do humor e da ironia poderiam ser levados a sério: “O seu negócio assumirá amplas proporções”. Esqueçamos o duplo sentido de “negócio”...
Selecionei dez “sortes” que, a meu ver, antes de nos revelar uma ventura qualquer, segredam-nos os passos, espirituais, para um auto-aprendizado e um autocontrole. O último, eu o tirei hoje, e foi o que me motivou a montar o decálogo abaixo, pois me pareceu mais do que apropriado para fechar o ano, neste 31 de dezembro. Coincidência? Talvez. Mas há quem assevere que não há acaso nem coincidência: que tudo já está previamente arranjado, e que o que não se fez é porque não se faria, e o que foi feito era porque já estava feito...

1) Não basta querer, é preciso também saber como fazer.
2) Alimentos e forragem devem preceder tropas e cavalos.
3) O progresso calmo e constante, livre de precipitação, conduz ao objetivo.
4) Nenhum tecido é feito de um único fio.
5) Até as torres mais altas começaram do chão.
6) Não levante uma rocha para depois derrubá-la em seu próprio pé.
7) A persistência realiza o impossível.
8) Não propague aos quatro ventos suas habilidades individuais, mantenha-se discreto em seu progresso.
9) A beleza das coisas existe na mente de quem as contempla.
10) A alegria está na luta e no esforço e sofrimento decorrentes; não na vitória em si.

Se é certo que saciei o estômago – e o saciei –, não é menos certo que alguma coisa extraí desta pedagogia da sorte. Pelo menos que não devemos dar crédito a qualquer meia-dúzia de palavras convenientemente combinadas...


Imagem: gravura do pintor japonês Hiroshige.

4 comentários:

Anônimo disse...

Não sei, não sei. Só sei que saciei meu estomâgo com pratos bem indigestos, fios gordurosos tecidos como rocha. Não extrair pedagogias, mas uma cruel metodologia de sobrevivência. Quisera poder comer mais (e melhor). Veremos 2009. Aquele abraço. T

Silvestre Gavinha disse...

Mayrant,
Brigadíssima pela visita de última hora com os votos para 2009 e tua última grande gentileza deste ano.
Obrigada mesmo.
Se teu blog ganhou com meus comentários, eu, sem dúvida nenhuma ganhei muito em te conhecer.Ganhei mais um interlocutor válido. Uma das coisas que mais prezo. Um super 2009 para você também meu amigo. E que você continue esse teu maravilhoso explanar da vida e da literatura. Com toda a sorte que puderes devorar.
Marie

Anônimo disse...

Bem sugestivo o nome do blog. Abraços e um feliz 2009 para vc e sua família.
Rafaela Almeida.

Daniela disse...

É, Mayrant, parece que aquela nossa teoria do ano par, ao menos para mim, não funcionou no ano de 2008... Agora é só torcer pra que neste ano ímpar de 2009 tudo seja mais tranqüilo... Beijo.

p.s.: minha primeira vez aqui. :)