"Eu respirava naquelas salas, como um incenso, esse cheiro de velha biblioteca que vale todos os perfumes do mundo." Antoine de Saint-Exupéry

domingo, 4 de janeiro de 2009

RÉPLICA BENÉFICA

TANGO

Não há receita garoto

Não controlamos o acaso
Nem o nosso destino

Nem adianta tampouco
Tocar um tango argentino

Um ano é como um sonho em que vamos
Para outro no qual vagamos

Sem acréscimo nem volta
Ao espaço de uma porta

Este poema é uma réplica (benéfica) ao post . Imagem: detalhe da ilustração de Guy Pellaert, para o CD Astor Piazzolla Tango Nuevo Tango, da Jade-Milan (1993).

5 comentários:

Georgio Rios disse...

Bela réplica, belo poema!!!!E seguindo por este "espaço de porta"
Acato o belo tango!!!Um abraço

Georgio Rios!

Anônimo disse...

Cimentaram rios, lagos e jardins. Cimentaram tua lápide, tua impressão digital. E veja, cimentaram até a margarida, que não era rosa. Portanto, como haver receitas ou bicicletas? Parafraseando o grande Kháyyám, sorri ao Destino que te fere. E isso basta. Aquele abraço. T

Anônimo disse...

Puxa...que lindo!

Silvestre Gavinha disse...

Muito boa réplica a um bom poema. De qualquer forma, com samba, tango ou rock'n'roll... há é que continuar a bailar.... cada um no seu ritmo com os livros que teve e que aprendeu.
E aí Mayrant? Conseguiu acessar e ler os poemas?
Abraços
Marie

SANDRO ORNELLAS disse...

Muito bonito poema, Monsieur Gallo.