"Eu respirava naquelas salas, como um incenso, esse cheiro de velha biblioteca que vale todos os perfumes do mundo." Antoine de Saint-Exupéry

sexta-feira, 17 de abril de 2009

PIERRE DRIEU LA ROCHELLE

Ao fim de tudo, ele se matou, em 15 de março de 1945. Mas sua sobrevivência permanece, graças a um grupo de leitores fiéis e a um filme dirigido por Louis Malle, Trinta anos esta noite, baseado em seu romance Le feu follet (Fogo fátuo). Viveu sozinho entre dois extremos: a esquerda mais suja e a direita mais parva. À frente da Nouvelle Révue Française, em plena ocupação da França pelos alemães, foi acusado de traidor e capacho dos invasores, pois, se havia escritores eminentes que colaboravam com a revista, é certo que estes se foram debandando, e de súbito La Rochelle ficou só e odiado por muitos. Foi veementemente criticado, sobretudo por Sartre, então na clandestinidade. Quando os aliados chegaram, continuava ele afeito ao seu trabalho e cumprindo suas obrigações, à mercê de uma possível e inevitável vingança, que veio e não veio... Depois de duas tentativas frustradas de suicídio, finalmente suprimiu-se à vida, ingerindo veronal em associação com gás de cozinha, ciente de que “jogara num dos lados e perdera”. Três citações de sua autoria o definem: “Sempre me acusei de ser eu mesmo”; “A fidelidade persiste enquanto persiste o espanto”; “Deus é um humorista. Do amante mais agudamente macho, de repente ele faz uma fêmea. O extremo positivo, ele vira em negativo. Do advertido, faz um invertido. Assim gira a roda”. Conselho: faça como a maioria, não o leia.

6 comentários:

Renata Belmonte disse...

Mayrant,
Tenho o sonho de ler este livro e ver este filme. Nunca encontrei nenhum dos dois.
Abraços,
Renata

Lidi disse...

Mayrant, nunca ouvi falar desse escritor. Mas não quero fazer como a maioria! Sempre que acesso teu blog, percebo que preciso conhecer tanto ainda da literatura, do cinema, da arte de um modo geral. O que não me falta é desejo de me aprofundar nesse mundo fascinante, só espero ter tempo e oportunidade. E serei sempre grata a você por essas primorosas indicações! Um abraço.

C.F.Menz disse...

A psicologia afirma: proíba e todos quererão acessar... As melhores leituras de férias retirei da sua lista. Valeu.

Mayrant Gallo disse...

Caro Menz, fico contente que tenha tirado algum proveito das postagens do Não leia! Grato pela visita. Abraço do M. G.

Mariana disse...

Mayrant, acabei de ver o filme e fiquei com vontade de ler o livro.. vc leu? gostaria de saber mais sobre ele!

Araken Vaz Galvão disse...

Oi Mayrant, o Elieser Cesar acabou de me indicar este livro. Estou procurando em um sebo.
Abraços