"Eu respirava naquelas salas, como um incenso, esse cheiro de velha biblioteca que vale todos os perfumes do mundo." Antoine de Saint-Exupéry

sábado, 20 de março de 2010

OUTONO

Chegou o outono! E nós aqui de Salvador, que tivemos um verão abafado e grudento, devemos comemorar. O haicai (poema de origem nipônica) caracteriza-se por celebrar as estações do ano em confluência com o estado de espírito do eu do poeta, consequentemente do leitor. Tal aspecto acaba por impor que os haicais, na maioria do casos, quando reunidos em livro, sejam classificados ou separados conforme a estação que celebram: Primavera, Verão, Outono e Inverno. Uma ótima coleção de haicais japoneses organizada dessa forma é a Haicais: antologia e história (Unicamp, 1996), sob a criteriosa orientação dos estudiosos Paulo Franchetti, Elza Taeko Doi e Luiz Dantas. Neste maravilhoso livro, o Outono começa na página 142, com um belíssimo haicai de Bashô. Que esta estação, nem sempre venerada a contento, adentre a nossa sensibilidade.

Nunca se esqueça
Do gosto de solidão
Do orvalho branco. (Bashô)

As libélulas,
A cor destes muros:
Que saudade da terra natal! (Buson)

Todas essas estrelas
Surgindo,
Ah, o frio! (Taigi)

Estrelas no lago
E então novamente o ruído
Da chuva fina que cai. (Hokushi)

Primeiras neves
Meu maior tesouro,
Este velho penico. (Issa)

O jarro quebra
Ah, o despertar
Do gelo na noite! (Bashô)

O cão late
Quem andaria
Por esta noite de neve? (Meimei)

Se não tivessem voz
As garças desapareceriam
Sobre a neve da manhã. (Sono-Jo)

Apenas estando aqui,
Estou aqui.
E a neve cai. (Issa)

Dos poetas aqui reunidos, Bashô, Issa e Buson são os mais célebres, sobretudo o primeiro. A foto acima é do filme: Primavera, Verão, Outono, Inverno... e Primavera (2003), de Ki-Duk Kim.

4 comentários:

Georgio Rios disse...

Uma saudação"calorosa" a estação que andentra nossa existencia.E os haicais, sim eles a nos enebriar de poesia!!

Ribeiro Pedreira disse...

é no haicai que a natureza interage com a existência humana, compondo a poesia do viver.

Obrigado, Mayrant! Há muito que não vejo um haicai do Bashô. Foi inevitável lembrar deste que você usava muito como exemplo nas aulas da UEFS:

Casca oca
a cigarra
cantou-se toda

Abraço.
Dado

P.S. Quanto tiver um tempo, visite meu blog:
www.ribeiropedreira.blogspot.com

Carmezim disse...

debruçada na janela
até os girassóis
se viram pra ela

Rayuela disse...

bellos haikus de mbaestros;
bella película.

un abrazo*