"Eu respirava naquelas salas, como um incenso, esse cheiro de velha biblioteca que vale todos os perfumes do mundo." Antoine de Saint-Exupéry

sábado, 22 de agosto de 2015

POETA-POEMA, 67: THIAGO LINS

A arte misteriosa do pintor argentino Xul Solar.
| Expor um poeta, defini-lo com um só poema.
Despertar com ambos alguma consciência. |

VENTURA

Pensaram que seu corpo
Não tinha esplendor quando
Pensaram que sua face
Não se refletia como
Pensaram que sua profissão
Era conduzir sonhos
Não pensaram que fosse um homem
Só o descobriram
Quando lhe deram um tiro

THIAGO LINS. Poeta e contista brasileiro, nascido no Ceará, mas radicado em Feira de Santana, BA. Seus poemas e minicontos expressam, com indiscutível simplicidade, a inquietação do sujeito diante de um mundo caótico e desumano. Poema extraído de As peças do relógio (Multifoco, 2012).

2 comentários:

Lidi disse...

Thiago Lins, meu amigo, poeta e contista que admiro. Muito bom ver os versos dele no POETA-POEMA, Mayrant. Um abraço.

Thiago Lins disse...

Meu muito obrigado, Mayrant! Aquele abraço. T