"Eu respirava naquelas salas, como um incenso, esse cheiro de velha biblioteca que vale todos os perfumes do mundo." Antoine de Saint-Exupéry

quinta-feira, 4 de fevereiro de 2010

O MILAGRE DE SAKI

Semanas atrás, acessei o site de uma livraria, à procura de um livro do escritor inglês Saki (1870-1916), célebre por seus contos de terror e humor. Infelizmente, não encontrei nenhum livro dele, mas achei, em compensação, um livro do alemão W. G. Sebald (1944-2001), em espanhol, com o título Cuentos de humor y de horror. Como já apreciava Sebald pelos romances, e o livro estava com um preço convidativo, não hesitei em enveredar pela leitura de seus supostos contos. Dias depois, para a minha surpresa e minha satisfação, recebi o livro: Cuentos de humor y de horror (Barcelona: Anagrama, 2008), mas, neste caso, o autor era Saki. Compreendi então que a livraria se equivocara ao catalogar o livro ou que minha vontade, de alguma forma, operara uma mágica, um milagre. E, uma vez que Saki foi um mestre do relato fantástico, é inevitável não pensar que ele próprio, de onde está, engendrou esta trama.

3 comentários:

Silvestre Gavinha disse...

Genial,
Histórias assim alimentam nossa mente e imaginação. Não conheço nenhum dos dois, o que me vale a dica. A comparação mais próxima que tenho é o Auster.
E você mesmo com seu Kafka.
Grande abraço Mayrant.

HNETO disse...

Às vezes o invisivel
se mostra.

Wladimir Cazé disse...

Que episódio saboroso. Digno também do próprio Sebald, em cuja prosa o acaso e as coincidência têm papel decisivo.

A propósito, Mayrant, você já leu ou tem o livro "Os emigrantes",, de Sebald?