"Eu respirava naquelas salas, como um incenso, esse cheiro de velha biblioteca que vale todos os perfumes do mundo." Antoine de Saint-Exupéry

quinta-feira, 2 de junho de 2011

O CÉU DE TOM CORREIA

Finalmente, depois de quase uma década sem publicar, Tom Correia chega ao seu segundo volume de contos, numa coedição da Casarão do Verbo e Língua Solta, com o apoio da Fundação Pedro Calmon (Secretaria de Cultura), com os recursos do Fundo de Cultura.

Não percam a noite de autógrafos com o autor: dia 10 de junho, às 19 horas, na Galeria do Livro, Espaço Unibanco de Cinema, Centro, Salvador, BA.

Clique sobre o cartaz para ampliá-lo.

4 comentários:

Por que você faz poema? disse...

Depois de "Memorial dos Medíocres", esse "Sob um Céu de Gris Profundo" é realmente imperdível.

E a maior invenção de todos os tempos é o controle remoto.

Carlos Barbosa disse...

Mayrant, faço coro. Vou publicar mais adiante no meu blogue. Que belo título, não? Meus parabéns ao Tom, e minha admiração por sua literatura. Abr (carlos barbosa)

Anônimo disse...

Felicitações ao amigo Tom. Aquele abraço.

Lidi disse...

Eu li "Memorial dos Medíocres" e gostei muitíssimo. Parabéns ao Tom pelo lançamento de mais um livro. Abraço, Mayrant.