"Eu respirava naquelas salas, como um incenso, esse cheiro de velha biblioteca que vale todos os perfumes do mundo." Antoine de Saint-Exupéry

domingo, 25 de julho de 2010

LINDAS CAPAS, 1

Se o livro é ótimo, mas a capa é feia, não há nenhum problema. Contudo, se o livro é ótimo e a capa é bonita, uma obra de arte, então temos dois motivos para celebrá-lo. Provavelmente, as pessoas conhecem Tubarão, de Peter Benchley, mais pelo filme, que, no entanto, apenas reproduz do livro a sua trama de horror; tudo o mais é descartado, especialmente a crise existencial e conjugal por que passa o chefe de polícia, e a descrição precisa do contexto socioeconômico e cultural que o anima, o lugar e a gente que se transforma em comida de tubarão. Além disso, Tubarão é um ótimo romance policial, do gênero serial killer. E com dois aspectos de exceção, que fazem dele um exemplar único: o assassino não é um homem, mas um animal, e a ação desloca-se da investigação do crime para a caçada deliberada ao assassino. Neste sentido, é uma citação direta ao extraordinário Mobydick, de Melville, sem a pretensão de se converter num ícone da literatura universal. A capa desta edição da Record consegue a proeza de ser ao mesmo tempo literal e impactante. Põe metonimicamente toda a praia na boca e no estômago da fera, que ganha prestígio de monstro lendário, diabólico.

5 comentários:

Anônimo disse...

Revi o filme dias atrás, por conta do aniversário de 35 anos. Também cumpre generosamente os aspectos de exceção mencionados. O tubarão de Spielberg adentra no terreno dos mitos mais diabólicos a povoarem nosso imaginário. Claro, Benchley foi além, e nos legou um romance ímpar. Aquele abraço.

Leca disse...

Esse filme...
marcou a minha vida...
na época morria de medo...
não entendia nada de efeitos especiais...e acreditava no tal tubarão...
Hoje...depois de rever essa pérola...dei tanta risada...
e respeito...ainda mais o poder de criação...
Beijos
Leca

Carlos Barbosa disse...

Caro amigo, hoje é dia do escritor, seu aniversário. Parabéns, mesmo que seja esquivo a esse tipo de comemorações. Que dezenas de outros sejam vividos e bem vividos. Pela literatura, pela amizade, muitos abraços.(carlos barbosa)

fabricio vieira disse...

Olá Mayrant,
passei apenas para dizer que meus contatos mudaram (e perdi seu e-mail!). Quando tiver um minuto vago, me escreva!

fabriciodvieira@gmail.com

abraço, Fabricio

wilson gorj disse...

Mayrant,

Por falar em capas lindas, veja esta do livro do Cony, Quase Memória, ed. Alfaguara:

http://www.livrariaresposta.com.br/fotos/alfaguara_quase_memoria.jpg

Adoro capas de livros tanto quanto o conteúdo. O desta obra também é muito bom.


W.G.
omuroeoutraspgs.
blogspot.com